VI NO CINEMA: Viúva Negra

É notório que este filme saiu atrasado! Não apenas por causa da pandemia, mas também porque a Scarlett Johansson já merecia faz tempo o seu filme solo! Por outro lado, esse duplo atraso beneficiou a experiência cinematográfica, pelo menos para mim! Como é um filme “deslocado” da ordem cronológica de lançamentos da Marvel (veio depois de Ultimato, mas a história passa-se após Guerra Civil), consegui assistir como um filme fechado, sem me importar muito com o que veio antes, nem com o que virá depois! Com isso, a história ganhou muito em emoção e empolgação! Mais até do que Capitã Marvel, que teve lançamento similar, passando-se antes na linha cronológica narrativa, mas tendo sido lançado depois!

É chover no molhado falar como a Scarlett é ótima como Viúva Negra! É uma daquelas atrizes (e atores) que entraram pro roll dos que “nasceram para esse personagem”! Outro grande brilho do filme, é a Florence Pugh, que entrega uma carismática (e fodona, e cínica, e danada!) Yelena Belova, que nos deixa com um gostinho de “quero mais”, mostrando que a passagem de bastão entre Viúvas Negras está em boas mãos. A Marvel, nesse quesito, não ficou viúva da personagem (ba-dum-tissss), muito embora fiquemos com uma pontinha de lágrima nos olhos de saudade da Scarlett!

Outro ponto bacana é o Guardião Vermelho do David Harbour! Não pela sua relevância na trama (tire-o da equação e a história segue normalmente), mas pela sua veia cômica e sentimental de paizão (a la “Senhor Incrível”), que nos faz rir e querer chorar ao mesmo tempo! Inclusive, algumas piadinhas em torno dele me fez querer ver mais desse lado “Russo” da Marvel (Ursa Maior e Dínamo Escarlate… a equipe “Super-soldados Russos”, quem sabe?).

Como pontos negativos, destaco a Rachel Weisz, não por ela, mas pelo enredo, que a construiu como uma personagem que nem fede, nem cheira! Aliás, padecem desse mal os vilões, o Grande Chefão da Sala Vermelha (cujo nome eu esqueci!), que é muito burro para quem manipulou tantas garotas/mulheres ao longo das décadas; e o Treinador, que à priori aparece arrasando, mas depois protagoniza uma reviravolta a la “Mandarim de Homem de Ferro 3” que chega a dar dó de tamanho desperdício de personagem em prol de uma reviravolta “impactante” (com muitas aspas em impactante!). Não por acaso, a parte mais fraca do filme é a sua resolução, justamente o ponto em que precisaria de antagonistas fortes para segurar o tranco, tanto intelectual, quanto fisicamente!

Por fim, entre mortos e feridos, esse filme solo da nossa querida Viúva Negra faz jus à personagem, com momentos sentimentais e cenas de ação de tirar o fôlego! É um bom epílogo e despedida digna para a Scarlett Johansson! Certamente assistirei novamente… tão logo esteja disponível “de grátis” no Disney+!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s