Adoro meus formatinhos!

Episódio 01: Quando peguei os gibis do Aranha

 

Antigamente, lá no meu tempo, a pivetada costumava se reunir para trocar e emprestar gibis uns aos outros e jogar conversa fora sobre seus personagens e histórias favoritos (quem era mais forte?). Como a gente não tinha quase nenhuma grana, era comum essa prática do empréstimo. Eram bons tempos que não voltam mais. Baseado nisso, resolvi registrar um pouco da minha memória afetiva sobre os bons momentos que vivi juntando os gibis da minha coleção.

Não lembro exatamente como tomei conhecimento da existência do Homem-Aranha. Provavelmente através de algum desenho animado do Escalador de Paredes. O que recordo com muito carinho é das primeiras HQs que tive contato do Cabeça de Teia.

Fazia pouco tempo que me mudara de Fortaleza para uma cidade da região metropolitana e estava começando a fazer novos amigos na vizinhança. Logo descobri um vizinho a umas quatro ou cinco casas de distância que colecionava quadrinhos. Ele era mais velho, devia ter os seus vinte e poucos anos, enquanto eu ainda tinha onze para doze anos.

wp_20160924_17_33_24_pro

Certa noite, ele resolve mostrar as suas preciosidades (era outra prática comum também, exibir a coleção) e meus olhos brilharam com tanta coisa legal na minha frente! Nessa época, minha coleção ainda predominava de Disney e Turma da Mônica guardadas em caixas da Avon debaixo da cama dos meus pais. E quando vi aquela edição 44 do Homem-Aranha, fiquei alucinado logo de cara com o desenho dinâmico da capa mostrando uma cena de perigo vista de cima com o Cabeça de Teia, a Gata Negra e o Coruja presos pelos tentáculos do Doutor Octopus. Outra revista que me chamou a atenção, foi a Teia do Aranha #26 com o Tarântula na capa tentando dar uma picada no Aranha. Na verdade, toda a coleção do cara me deixou doido (inclusive um livro pop-up do Aranha enfrentando o Tarântula que achei a coisa mais legal do mundo!). Mas humildemente pedi emprestadas apenas as duas revistas do Aranha e o meu novo amigo atendeu meu pedido. Foi demais!

wp_20160924_17_34_05_pro

wp_20160924_17_34_25_pro

wp_20160924_17_34_44_pro

A história de Homem-Aranha #44 contava a trama de uma guerra entre o Doutor Octopus e o Coruja, enquanto o Peter Parker tinha que lidar com os delírios da Debra Whitman (sua namorada na época). Naquele tempo (tempos mais inocentes, por sinal), eu não fazia ideia do que diabos era cronologia e pouco me importava com isso! O que caía na mão, eu lia sem me preocupar com o que aconteceu antes. Lembro que fiquei apaixonado pela Gata Negra, mesmo ela aparecendo apenas na última página da história.

wp_20160924_17_35_03_pro

wp_20160924_17_35_33_pro

A história seguinte do Capitão Marvel não me chamou tanto atenção. Não gostei dos desenhos “sérios” demais. Mas a última história do Quarteto Fantástico me deixou doido! Que história bacana aquela do tal Diablo e os monstros baseados nos quatro elementos para enfrentar o Quarteto. E que desenhos eram aqueles, meu Deus? Sem me ligar muito nos créditos (HQs Disney e Mônica não tinham isso na época), essa história me apresentou ao grande John Byrne! Nem preciso dizer que foi a aventura que reli diversas vezes naquela edição!

wp_20160924_17_36_00_pro

wp_20160924_17_36_32_pro

A Teia do Aranha #26 me chamou atenção pelos desenhos limpos e pelas cores diferenciadas (tinham uns degradês que não vi na outra revista). Sem falar, claro, do Tarântula, que achei sensacional pela agilidade e sacada bacana do visual do uniforme. A primeira história era muito louca! O Doutor Octopus estava para casar com a Tia May e o Aranha tentava impedir. Tudo isso em meio a uma guerra de gangsters com o Cabeça de Martelo! Na segunda aventura, conheci mais um inimigo do Cabeça de Teia, o Magma. E o melhor ficou para o final: o quebra-pau do Aranha com o Tarântula no meio de um transatlântico. A fichinha no final da revista falando sobre as edições originais americanas foram uma alegria à parte (imagine uma época com zero internet e você vai entender como eram ricos esses momentos informativos). Que bacana! Reli essa edição inteira várias vezes antes de devolver ao dono!

wp_20160924_17_37_37_pro

wp_20160924_17_37_50_pro

– Homem-Aranha # 44 (Editora Abril) – 14/02/87

– A Teia do Aranha #26 (Abril Jovem) – Novembro/91

 

Chegou “Rabiscos Imaginários”

Acabou de sair da gráfica a minha revista poster “Rabiscos Imaginários”. A revista mede 14,5x21cm (fechada) e mostra uma retrospectiva dos meus anos de profissão nas áreas de quadrinhos, ilustração publicitária e editorial, ricamente ilustrada (sem trocadilho) com amostras dos principais trabalhos que fiz nos últimos quatro anos. E sabe o que é melhor? A revista se transforma em um sensacional poster tamanho 42x59cm com uma ilustra em homenagem ao clássico filme “Os Goonies”. Legal, né?

“Rabiscos Imaginários” tem valor de lançamento por apenas R$ 5,00 e pode ser adquirida através de reserva por e-mail lederly@gmail.com ou facebook.com.br/lederlycomics. A entrega em mãos ocorre na Estácio Via Corpvs (terça à quinta | noite) ou Estácio Centro (segunda e sexta | noite). Por enquanto, apenas para Fortaleza.

Confira algumas imagens:

WP_20151117_09_00_35_Pro

WP_20151117_09_00_47_Pro

WP_20151117_09_01_03_Pro

WP_20151117_09_01_33_Pro

Ilustração Infantil

Fazer ilustrações infantis é sempre muito divertido, principalmente quando tenho a possibilidade de agregar um algo a mais ao trabalho. Este foi o caso de um job que realizei para a Compassion do Brasil, ONG que cuida de crianças carentes. Estas ilustras fazem parte dos papeis de cartas (cuja editoração também ficou por minha conta) utilizados como via de diálogo entre a criança e o seu padrinho (a pessoa que assume alguns custos para que o projeto possa seguir adiante). Confira:

ilustras compassion-01

ilustras compassion-03

ilustras compassion-02

ilustras compassion-04

carta 12_minhas ferias escolares

Carnaval da ilustração

Aproveitei o feriadão do Carnaval para descansar bastante e relaxar fazendo ilustrações que normalmente a correria do dia-a-dia não deixaria. O resultado foram cinco ilustrações, todas criadas diretamente no Photoshop. Confira:

10 sexta feira 13 4

11 a hora do pesadelo 6

12 supergirl vs antimonitor 04

13 hulk 08

14 batman e robin 05

Campanha de boas-vindas Estácio

As aulas estão prestes a começar no Centro Universitário Estácio do Ceará! Como já está virando tradição na unidade Via Corpvs, preparamos um material especial para dar as boas-vindas aos nossos alunos (que chamo carinhosamente de “meus padawans”). Geralmente fazemos essa ação para os cursos de Design Gráfico, Design de Interiores e Design de Moda. Dessa vez, fomos um pouco mais longe e estendemos esse material também para as unidades Moreira Campos, Parangaba e a novíssima unidade Centro. Trata-se de 27 totens de 1,70m de altura com personagens representando cada um dos cursos das quatro unidades com o tema “Eu Amo Estácio”. No caso dos totens, “Eu Amo Arquitetura”, “Eu Amo Nutrição” e por aí vai. Criamos também dois totens extras com a frase “Eu Amo Estácio” e com espaços no lugar dos rostos para que os padawans possam tirar fotos. Além disso, ainda teremos na Via Corpvs painéis de 9,0m e 4,0m. Ah, e ainda tem um poster com os 27 personagens! As ilustras e diagramação ficaram por minha conta.

cartaz eu amo estacio-01-01

painel eu amo estacio_9.2x1.4m_final-01

Catalogando personagens em cards

Depois de um período em que passei apenas ministrando aulas (mais precisamente 2014 inteiro!), este ano estou retomando alguns projetos que estavam parados. Um deles é voltar a produzir histórias em quadrinhos dos mais variados tipos e gêneros (falei sobre isso aqui)! E, claro, não podia faltar uma das minhas grandes paixões, os quadrinhos de super-heróis. No entanto, antes de sair rabiscando as páginas, preciso urgentemente organizar algumas coisas nos meus arquivos como, por exemplo, catalogar todos (eu disse TODOS) os personagens que criei desde moleque até os dias de hoje e montar, literalmente, um mapa de todo o meu universo (isso soou grandiloquente! rs). Para essa empreitada, inventei de fazer uma coleção de cards com os personagens, com traços bem simples e diretos, mas que registre a caracterização e cores de cada um. Em apenas três dias de trabalho (lápis e arte-final), desenhei nada mais, nada menos, que 28 personagens, entre heróis, vilões e coadjuvantes! Só parei porque acabou o papel! A empreitada está apenas no início, já que estimo ter pelo menos uns 300 personagens! Mas os primeiros resultados você confere logo abaixo!

kitson 2

energia solar 2

raio 2

cris 2

fobia 2

Ilustrações para quem teve infância!

O ano de 2015 começou com “gosto de gás” por estas bandas! Produção à todo vapor do segundo volume do meu art book “Rabiscos” (o primeiro pode ser visto clicando aqui). Diferente do anterior, que apresentava uma seleção dos melhores trabalhos que produzi em toda a vida (!), este novo art book terá somente ilustrações inéditas. A ideia é resgatar através das ilustras as memórias afetivas da minha infância, sejam extraídas de filmes, desenhos animados, seriados, novelas, gibis, livros, jogos, cantigas ou brincadeiras. Enfim, da infância feliz que tive! “Rabiscos 2” ainda vai demorar um pouco para ficar pronto, mas já dá pra deixar um gostinho do que vem por aí. Confira:

05 o magico de oz_teste

 

03 os goonies

06 a pequena sereia

 

Ilustrações institucionais

Recentemente fiz uma série de ilustrações institucionais para a revista de prestação de contas da Deputada Eliane Novais. Já estava com saudade de fazer esse estilo de ilustração, já que comecei minha carreira na prefeitura de Maracanaú (região metropolitana de Fortaleza) justamente fazendo esse tipo de trabalho. O briefing passado pelo meu amigo e redator Paulo Marcelo pedia um traço livre e estiloso, apesar da objetividade na mensagem que o trabalho necessita. Confira o resultado logo abaixo! E clique aqui para ver mais ilustras!

ilustracoes revista balanco do mandato-01

ilustracoes revista balanco do mandato-03

ilustracoes revista balanco do mandato-07

ilustracoes revista balanco do mandato-08

Todas as Angelinas

Que eu já sabia que era aficionado pela Angelina Jolie, isto é fato! O que eu não fazia ideia era da extensão dessa paixão! Tudo começou há algum tempo atrás, quando descobri a existência da filha do Sr. Voight através do primeiro filme da Lara Croft: Tomb Raider. Não sei dizer o que me chamou atenção naquela magrela de peitões e da bocona! Só sei que foi amor à primeira vista!

De lá pra cá, passei a colecionar todos os seus filmes (até os ruins!). E, como sou desenhista, não tardei a começar a desenhá-la também. Porém, um fato curioso, é que até pouco tempo atrás eu nunca havia feito um retrato sequer da deusa (é como a chamo!). Havia feito apenas caricaturas!

Isso mudou quando comecei a ministrar aulas de desenho vetorial. Quando chegava o momento de mostrar aos alunos as técnicas de vetorização de retratos, adivinha quem era a minha modelo preferida?

Assim, remexendo nos arquivos, percebi que juntei uma quantidade razoável de desenhos. E são justamente esses desenhos da Angelinda Jolinda (também a chamo assim!) que compõem este pequeno art book intitulado “Todas as Angelinas”. Para conferir, basta clicar aqui.

todas as angelinas 01

todas as angelinas 02

todas as angelinas 03