O QUE ANDEI LENDO: BOX AQUAMAN

A Panini aproveitou para “surfar na onda” do lançamento do filme do Aquaman e colocou à venda no final de 2018 um box contendo toda a trajetória do Rei da Atlântida sob a batuta de Geoff Johns nos famigerados “Novos 52”! A caixa contém, em ordem de leitura, os encadernados “Liga da Justiça: Origem”; “Aquaman: As profundezas”; “Aquaman: Os Outros”; “Liga da Justiça: O trono da Atlântida” e “Aquaman: A morte de um Rei”! Todos em capa cartonada. Os desenhos ficaram por conta de Jim Lee, Ivan Reis e Paul Pelletier, além de outros convidados.

O que posso dizer, logo de cara, é que o Geoff Johns passa a impressão de ter dupla personalidade! Na Liga da Justiça, seu texto é truncado, fragmentado, enfadonho e cheio de clichês absurdos, como na parte em que o Batman e o Lanterna Verde decidem ir até Metropólis para confrontar o Superman apenas por ele ser um alienígena (como os parademônios)! E, claro, chegando lá, o Superman também acabou de enfrentar (coincidentemente) os asseclas do Darkseid e vai pra cima do homem morcego e do Hal Jordan! Já no Aquaman, seu texto é redondinho, cheio de boas sacadas, aventuresco e agradável de se ler! Dá vontade de devorar as páginas e ver até onde o Arthur Curry vai parar!

A diferença entre os dois títulos também é sentida na arte. Na Liga da Justiça, o traço do Jim Lee é até bonito, mas parece corrido e desproporcional. Não ajuda muito os novos designs dos uniformes, cheios de firulas que não servem para nada, apenas para dar dor de cabeça aos desenhistas dos títulos solo dos personagens! A impressão que se tem, é que o Jim Lee é um péssimo character designer, daqueles que pega algo pronto e sai rabiscando linhas a esmo só para pagar de detalhista! Deviam ter chamado o veterano mestre José Luis Garcia-López para essa função! Do jeito que ficou, está com cara de Image Comics da década de 1990!

Já no Aquaman, os uniformes do herói e da Mera dão gosto de ver, de tão elegantes que são! Dá para sentir o constrangimento do Ivan Reis em ter que seguir (mais ou menos) o visual estabelecido pelo “chefe”. Mas, assim como a elegância de seu traço, o Reis elegantemente dá um chega para lá no visual “Image” e mostra uma proposta anos-luz de distância em termos de qualidade! Sem falar que o seu traço é muito mais consistente do que o do Jim Lee. No segundo encadernado da Liga de Justiça, o Lee sai de cena e o Ivan Reis assume o título da superequipe, sendo substituído em Aquaman pelo Paul Pelletier, que não tem o mesmo nível do Reis, mas consegue segurar a peteca e entregar um feijão com arroz bem competente. No último volume de Aquaman (A morte de um rei), Pelletier chega a impressionar com algumas cenas de panorâmicas!

Sobre os enredos, é o que eu já falei: no título da Liga da Justiça, Johns parece não saber o que fazer ao contar as origens da equipe. O ponto positivo é a inclusão do Ciborgue! Para quem é fã dos Novos Titãs (como é o meu caso), pode ficar com um pé atrás! Mas como o Victor Stone é o único personagem bem trabalhado, acaba ganhando uma relevância bem interessante de se ver. Se não fosse por essa armadura genérica… Pelo menos ficou melhor desenhada pelo Ivan Reis! No título do Aquaman, o enredo está melhor estruturado e acompanhamos a trajetória de Arthur Curry pós-recusa do reinado da Atlântida. Quem está no trono é o seu irmão Orm! Quem dá as caras também são “Os Outros”, antiga equipe de Aquaman, e o vilão Arraia Negra! Além dos impressionantes habitantes do Fosso!

Quando os títulos se encontram em “O Trono da Atlântida”, as histórias da Liga da Justiça dão uma leve melhorada. Como eu disse, parecem ser dois Geoff Johns, e ambos têm uma certa dificuldade em realizar o crossover, dadas as inconsistências nas linhas cronológicas dos enredos! Até o uniforme do Aquaman fica inconsistente, já que no gibi da Liga era de um jeito e no do Rei dos Setes Mares, de outro! Mas o Ivan Reis consegue segurar o tranco, seguido fielmente pelo Paul Pelletier! Quando entra o Tony Daniel… xiiii!

São mais de 800 páginas de quadrinhos que li voando! Apesar de ser uma leitura mais truncada na Liga da Justiça, o gibi do Aquaman foi devorado em um piscar de olhos, tamanha a diversão dos enredos! O Rei dos Sete Mares entra no hall das boas coisas dos Novos 52, ao lado da Mulher-Maravilha, Action Comics, Batman e Flash! Já Liga da Justiça…

Imagens extraídas do site da Panini.