O QUE ANDEI LENDO: ESCREVENDO PARA QUADRINHOS de Brian Michael Bendis

O livro do Brian Michael Bendis, publicado por estas paragens pela Editora Martins Fontes, não tem a pretensão de reinventar a roda e muito menos de redescobrir a pólvora no quesito produção de roteiros para quadrinhos. À priori, o aspecto básico e “mais do mesmo” do conteúdo pode ser um pouco frustrante para o roteirista já inserido no mercado que comprou o livro esperando descobrir os “segredos sobre como escrever igual ao Bendis”! Por outro lado, o livro é ideal para quem está iniciando, justamente por focar nos quesitos mais básicos!

Bendis prefere seguir uma narrativa de bate-papo franco sobre a sua experiência e o seu processo criativo, ao invés de produzir um manual técnico. A meu ver, ele acertou em cheio nessa abordagem!

Um roteiro é formado por, pelo menos, dois pilares: a forma e o conteúdo! A forma abrange a maneira como o roteiro será escrito! No caso dos quadrinhos, pode ser através de um argumento prévio (também conhecido como “método Marvel”) ou em formato de script (chamado no livro de “roteiro completo”). Bendis dá ótimos exemplos sobre os dois formatos. Inclusive, deixa claro que, no caso dos quadrinhos, não existe uma forma “certa”, como no cinema e na TV. Cada roteirista tem a sua forma de escrever ou irá desenvolver a partir de uma base. Bendis também deixa claro que o propósito do seu livro não é ensinar a como escrever como ele! A ideia é que cada um desenvolva a sua voz própria, já que, se uma editora quiser contratar alguém que escreva igual ao Bendis, terá o próprio autor à disposição, ao invés de uma cópia! É nesse ponto que o conteúdo faz a diferença!

Manuais técnicos sobre como escrever roteiros, você encontra aos montes pelo mercado! Mas é no conteúdo que essa parte técnica se destacará… ou não! Não adianta nada o roteirista devorar inúmeros livros técnicos, se não souber como preencher os seus roteiros! Bendis deixa isso bem claro! É preciso ter uma bagagem para escrever! O Bendis só escreve como Bendis por conta da bagagem que tem! É a sua experiência de vida, leitura, vivência e pesquisa que constrói o conteúdo dos roteiros! O roteirista precisa ler muito para poder escrever muito! De preferência todos os dias, mesmo que ainda não tenha tanta bagagem! Não é à toa que existe aquele ditado “a prática leva à perfeição”! Com roteiro – e desenho – não é diferente!

Outro ponto positivo do livro são as entrevistas com vários profissionais do mercado. Desenhistas, outros roteiristas e editores que falam sobre as suas experiências, dão os seus pontos de vista sobre como lidar com os roteiros, quais as dificuldades, quais as virtudes, o que se espera de um roteirista (iniciante ou veterano) e por aí vai! Esse conteúdo é riquíssimo e abre os olhos para questões que provavelmente muita gente nunca havia parado para pensar, como o fato de que os roteiros são escritos para os desenhistas, não para o público! Como bônus, tem uma entrevista com a esposa e administradora do Bendis que revela muito da parte chata do negócio, que é tratar a sua produção como uma empresa!

Escrevendo para Quadrinhos pode não ser um livro técnico sobre roteiros e nem se destacar em meio a tantos outros livros sobre o tema! Mas a imensa galeria de profissionais de quadrinhos que o livro traz, revelando pontos importantes sobre o mercado, já compensa tê-lo na prateleira da estante para consulta constante. E como o próprio Bendis fala, foi preciso convidar um monte de gente para que o livro pudesse sequer estar ao lado do Will Eisner e Scott McCloud na estante! Ele está certo!

NOVO ANO. NOVAS IDEIAS.

Todo final de ano costumo fazer um balanço de tudo o que aconteceu aqui no estúdio e traçar metas para o ano seguinte. Esta é a primeira vez que torno isso público!

O isolamento em 2020 tornou o ano um desafio para todo mundo. Como eu já trabalhava em casa, não mudou muita coisa adotar o tal do “home office”. O problema é que, quem trabalha com criatividade, precisa de uma válvula de escape para descansar o cérebro e recarregar as baterias criativas. A minha, era o cineminha, o barzinho, o forrozinho do final de semana e as viagens para eventos de quadrinhos! Como me vi desprovido disso tudo, minha mente entrou em parafuso e cheguei até a surtar em alguns momentos! Por conta disso, algumas metas que estabeleci para 2020 não chegaram a ser 100% alcançadas! Mas tudo bem! Sem pressão!

Então, sem mais delongas, vamos ao balanço de 2020 e às metas para 2021:

Turma da Mônica – MSP (Maurício de Sousa Produções)

A meta de 2020 era bater 50 roteiros aprovados! Por conta do psicológico abalado pela pandemia, consegui aprovar 44 roteiros (04 a mais que em 2019), em um total de 341 páginas escritas! A meta para 2021 é continuar na média de 45 roteiros! Um pouco menos ambiciosa, eu sei, mas um pouco mais realista em tempos de isolamento!

Zé Carioca – Disney (Editora Culturama)

Em 2020 tive a imensa alegria de publicar o meu primeiro roteiro para o mais brasileiro dos personagens Disney, o queridão Zé Carioca! A história “Para o papagaio que tem tudo” abriu a edição especial de Natal da revista “Aventuras Disney” Nº 21 (dezembro/2020). A meta para 2021? Quem sabe…

Livro teórico/prático na área de Ilustração

Esse foi o projeto que mais “sofreu”! Já estava um tanto quanto atrasado e eu esperava terminar em 2020! Mas como é um livro que exige muita pesquisa, produção complexa de texto e ilustrações, realmente não deu para continuar! A meta para 2021 é modesta: terminar ao menos 02 novos capítulos! E se tudo correr bem, concluir o livro inteiro para lançar em 2022! A minha editora agradece!

Teste para agenciamento

A boa notícia é que em 2020 ainda consegui produzir material para um teste de agenciamento. Foi uma experiência muito enriquecedora que pretendo voltar a experimentar. Só não tenho previsão! Quem quiser conferir o resultado, clique aqui!

Inktober

O Inktober é uma espécie de evento on line, encabeçado pelo ilustrador Jake Parker desde 2009, que propõe o desafio de fazer um desenho por dia durante todo o mês de outubro! O objetivo é soltar as amarras criativas e se divertir! Infelizmente não tive tempo de participar em 2020, mas esse ano quero voltar com todo o gás! Faz bem para a mente criativa!

As Ruínas de Angoera

Este é um mangá que surgiu a partir de um conto que escrevi há alguns anos! Em 2021 pretendo desenhar e publicar pelo menos 01 página por semana! Parece pouco, mas é o suficiente para encaixar no meu trabalho regular da MSP e uma maneira de espairecer a mente criativa! Espero começar a partir de abril!

Graphic Novel infantil

Depois de anos sem produzir um álbum (o último foi “Tobias e o Boi da Cara Preta” em 2013. Clique aqui para ler), no segundo semestre de 2021 pretendo tirar outro projeto da gaveta! Também será protagonizado por um pivetinho!

Contos em quadrinhos

Esse projeto está na categoria “quando der, eu faço”! O objetivo também é espairecer a mente criativa, produzindo histórias curtas de 08, 12 ou 16 páginas nos mais variados estilos, técnicas e gêneros!

Ufa! Bastante coisa, né? Estas são as metas para 2021!

Um novo ano, sempre pede novas ideias!