O que andei lendo em outubro de 2017

Fazia tempo que eu não publicava as dicas de leitura. Mas tem um motivo pra isso: aquela história de ficar contando as páginas lidas por mês acabou deixando a leitura muito engessada e menos divertida. Então parei de contar e, por conta disso, catalogar o que ia lendo. Ou seja, voltei à programação normal!

Agora, só de vez em quando é que vou publicar algo, principalmente se tiver alguma coisa pertinente para falar sobre alguma obra. Nem sempre serão palavras elogiosas, como é o caso da série “X-men ‘92”!

01

Quando soube do lançamento dessa série nos EUA, fiquei muito empolgado em ler, fã que sou dos heróis mutantes e da animação. Concluída a publicação aqui no Brasil (em três encadernados), a conclusão a que cheguei foi que a Marvel perdeu uma ótima oportunidade de fazer uma série, senão memorável, pelo menos prazerosa de se ler.

O que tornou a série animada memorável foi o fato de ter um elenco enxuto. Mesmo com diversas participações especiais, todo mundo sabia quem eram os X-men “oficiais”. Outro ponto positivo foram as histórias contidas em apenas um episódio. Quando muito, uma trama se estendia por dois, no máximo, quatro episódios (casos da Saga da Terra Selvagem e da Saga da Fênix). Por fim, as adaptações, também enxutas, das principais sagas dos quadrinhos e a interação “interpessoal” entre os personagens foram pontos positivos da animação.

02

Os roteiristas do gibi parecem não ter captado o espírito da coisa. Ao invés de captar o melhor que o desenho animado ofereceu, resolveram pegar o “melhor” (#SQN) que os anos 90 mostraram nos quadrinhos! Estão lá a equipe abarrotada de integrantes! É tanta gente, que você acaba se perdendo em muitas partes da história! X-men, Geração X, X-Factor, X-Force, X-Ninhada (não me pergunte…), misturados com outra penca de mutantes descartáveis criados na fase do Grant Morrison! Aos desenhistas, coube a tarefa de representar caras e caretas infantilóides, como se precisassem disso para dizer que a série é baseada em uma animação.

03

Quanto às tramas… também o pior dos anos 90 dos gibis! Lembra daquela pataquada de Upstarts, que eram um grupo formado por um tal de GameMaster para ganhar pontos caçando mutantes? Pois é! Nem eu lembrava dessa baboseira! Mas aqui, é a trama principal que permeia toda a série. O que ainda escapa é um ou outro momento com alguns episódios com vampiros. E nem vou falar do primeiro volume que, relacionado às Guerras Secretas, mostra um embate requentado com a Cassandra Nova (sim, a irmã gêmea do Xavier!). Se quiser saber mais sobre o primeiro volume, falei sobre isso aqui!

Como não só de nostalgia vive o leitor, a série foi cancelada! Na minha opinião, deveriam ter se inspirado em outra adaptação de animação para os gibis: Batman – Gotham Adventures. As histórias dessa série seguem totalmente a cartilha do desenho animado, com tramas episódicas, concisas, com um traço limpo, bonito, cartunesco, mas sem deixar os personagens abobados. Em muitas ocasiões, confesso que confundo em minha memória se algum episódio eu li ou assisti, de tão bons que são! Quem quiser dar uma lida, saiu por aqui em formatinho pela Editora Abril com o título “Batman: Gotham”!

11

23

É uma pena que “X-men ’92” tenha ficado do jeito que ficou! Para quem é fã dos heróis mutantes, realmente está faltando uma série “fechada” e sem tantas pretensões, apenas a de contar boas histórias. Agora é esperar pela “X-men Grand Design” e ver no que dá!

03

06

Agradecimentos ao site Guia dos Quadrinhos, de onde tirei a maioria das capas aqui expostas. =)

Anúncios

Passo-a-passo: A Pequena Sereia e a Bruxa do Mar

Não sei se você sabe, mas no curso de Design Gráfico do Centro Universitário Estácio do Ceará temos uma disciplina de Ilustração no terceiro semestre, na qual costumo fazer algumas demonstrações para os alunos quando chegamos no tema “materiais e técnicas”. O passo-a-passo a seguir foi produzido durante as aulas e mostro a criação de uma ilustração com técnica mista para A Pequena Sereia.

00 pequena sereia e a bruxa do mar_rafe 01

PASSO 01: O RAFE – No início do semestre, os alunos recebem um texto clássico para produzir as ilustrações que comporão o portfólio da primeira avaliação. Como a brincadeira aqui não é de “casa de ferreiro, espeto de pau”, também sigo as mesmas orientações passadas em sala. Assim, após a decupagem do texto, fiz o rafe de dois trechos que escolhi para serem ilustrados. Comecei com a cena do encontro da Pequena Sereia com a Bruxa do Mar.

01 pequena sereia e bruxa do mar_esboço

PASSO 02: O ESBOÇO – O traço foi feito com lapiseira 0,3mm e grafite 2H sobre papel algodão. O original está bem mais claro que este, já que dei uma escurecida no Photoshop pra ficar melhor de enxergar! O motivo do traço bem claro é simples: como a base do acabamento será com Aquarela, a ideia é que o lápis interfira pouco no resultado final.

02 pequena sereia e bruxa do mar_traço 01

PASSO 03: OS CONTORNOS – Geralmente gosto de fazer os contornos por último, depois da última pincelada de cores (e se tiver necessidade!). Mas já que o propósito aqui é sair da zona de conforto, fiz o contorno antes com canetinhas e “matizei” algumas áreas de cinza com canetas marcadores. O propósito desse cinza é quebrar um pouco a saturação da cor na hora da pintura. Esses contornos também podem ser feitos com lápis de cor secos. Se usar aquareláveis, recomendo deixar por último mesmo pra não danificar com a água na hora da pintura.

03 pequena sereia e bruxa do mar_textura 01

PASSO 04: A TEXTURA – “Sujei” a ilustra com areia molhada pra criar algumas texturas e esse efeito de… sujeira mesmo! Pode ser feito com café ou qualquer outro meio que gere sujeira! Além disso, não dá pra enxergar, mas fiz alguns “sulcos” no papel com objetos pontiagudos e esfreguei vela pelo papel todo!

04 pequena sereia e bruxa do mar_cor 01

PASSO 05: A COR – Aqui já dá pra ver o resultado dos sulcos e da vela sobre o papel. A pintura fica mais irregular (já que estamos no fundo do mar…). A pintura feita com tinta Aquarela ainda não tem contraste (está “lavada”, sem trocadilhos!).

06 pequena sereia e bruxa do mar_cor 03

PASSO 06: CONTRASTE – Acrescentei as sombras e valorizei mais a linhas dos contornos que haviam sido cobertos. Com uma caneta posca branca adicionei as linhas de brilho mais espessas e, com uma caneta gel branca, iluminei as escamas da Bruxa do Mar. Ainda assim, após escanear, dupliquei a camada e coloquei no modo “Multiplicação” do Photoshop para deixar as áreas escuras ainda mais contrastantes. Como trata-se de uma ilustração analógica, a ideia é interferir o menos possível no computador (não que seja proibido, nem nada!).

Este é o resultado! Inté a próxima!

Sátira de “Divertida Mente” na MAD #86

Quando o filme da Pixar “Divertida Mente” estreou, fiquei impressionado com a riqueza de detalhes e sutileza com que o estúdio conseguiu transportar para a tela aspectos psicológicos tão complexos. E nem preciso falar da qualidade da animação, sempre soberba. O que me chamou a atenção também foram os personagens na mente da menininha. Na época eu estava trabalhando em outra pauta para a MAD, mas a ideia de uma sátira veio com tanta força na minha mente (não podia perder a piada. hehe), que não tive dúvidas e apresentei ao meu editor. Assim surgiu “DiverDilma Mente”, com roteiro e arte por minha conta e risco, publicada na MAD #86! Divirta-se!

mad-86_diverdilmamente_pag-01

mad-86_diverdilmamente_pag-02

mad-86_diverdilmamente_pag-03

Portfólio: ilustrações empresariais

Como tratar de temas sérios utilizando o bom humor? Foi o que a escritora Simone Pessoa descobriu no texto para o seu livro “Armadilhas Empresariais: Percorrendo o campo minado das organizações”, que aborda assuntos como comunicação, planejamento, liderança e ética de forma descontraída e leve, mas sem perder o foco na seriedade. As ilustrações de capa e miolo ficaram sob minha responsabilidade e pude transmitir o bom humor que o texto pedia. Veja mais trabalhos clicando aqui. capa do livro_final ilustracao 01_final ilustracao 03_final ilustracao 06_final ilustracao 09_final ilustracao 11 ilustracao 14_final

Passo-a-passo: ilustração para o livro Mônica(s)

Em 2013 tive a honra de ser convidado pelo grande Sidney Gusman a participar das comemorações pelo cinquentenário de criação da Mônica com uma ilustração para o livro de artes “Mônica(s)”, que contaria com mais outros 149 artistas, cada um retratando a dentucinha com o seu próprio estilo. Primeiramente, pensei em ilustrar algum momento marcante da carreira da personagem ao longo desses 50 anos. Constatando que seria uma escolha bem difícil, acabei tendo uma outra ideia bem melhor. Ao invés de retratar um momento da Mônica, resolvi colocar no papel a minha primeira memória de infância com a personagem, o que me marcou. Assim, surgiu a ilustração “Estrelinha Mágica”, toda feita com colagem de tecidos e massinha de modelar. Abaixo, um pequeno passo-a-passo do processo de criação. O resultado final, você confere no livro Mônica(s).

100_1844

100_1851a

100_1856

100_1863

100_1865

100_1866

100_1871

100_1867

100_1869

 

3por5 para leitura on line

“3por5” é uma coletânea dos melhores cartuns que produzi para o caderno Mercado Aberto do jornal Folha de S. Paulo entre 2012 e 2013. O principal tema é a economia do Brasil e do mundo (quiçá, da galáxia!), mas o livro também traz outras conversas de calçada sobre politica e cotidiano (e até futebol!). E o bacana é que ele está inteirinho disponível para leitura on line, bastando clicar aqui para começar a diversão.

ilustracao da capa_frente

ilustracao da capa_verso

 

Espaço aberto para os trabalhos dos meus alunos

neto.jpg

É com grande orgulho que inauguro a sessão alunos, um espaço especialmente dedicado à divulgação dos portfólios dos meus alunos, com belos trabalhos produzidos como resultado final dos cursos que ministro no SENAC e SESC ou em produções posteriores, onde colocam em prática todo o conhecimento que adquiriram. E pra começo de conversa, abro este espaço com uma história em quadrinhos produzida por Henrique Neto (vide auto-retrato) no Módulo de Desenho em Quadrinhos da Oficina de Desenho e Aquarela do SESC. Divirtam-se, porque daqui a pouco tem mais!!